O corpo de Simão Pedro foi
jogado para o acostamento.

“Pagador de promessa. De Uruguaiana (RS) a Aparecida (SP). Autor e diretor de cinema. Aceito doações.” Uma placa com estes dizeres estava fixada no carrinho de metal (montado em cima de rodas de automóveis), que foi colhido por um Corsa, às 18h50 de ontem, no quilômetro 619 da BR-376, em São José dos Pinhais.O homem que puxava o carrinho, identificado pela Polícia Rodoviária Federal como Simão Pedro Gonçalves, 46 anos, morreu no local. Suspeita-se que a vítima realmente estava pagando uma promessa e pretendia chegar a uma das igrejas de Aparecida do Norte.

O pagador de promessa seguia pela terceira faixa da rodovia – destinada a veículos lentos – quando foi atingido pelo Corsa placa AKT-2275, de São José dos Pinhais, dirigido pelo estudante universitário Márcio da Cruz, 18 anos, que seguia para a faculdade. Assustado, o jovem afirmou aos policiais federais que trafegava pela mesma faixa que o carrinho e ainda freou. “Não tinha nenhuma sinalização no carrinho. Quando vi estava em cima. Não deu para fazer mais nada”, comentou o rapaz.

Desgovernado

Após o choque, que fez com que a vítima batesse no pára-brisas do carro e fosse lançada para o acostamento, o Corsa, desgovernado, passou para a pista do meio, por sorte não batendo em outros veículos. O rodado do carrinho ficou preso na frente do automóvel. Em seu interior havia uma barraca, cobertores, roupas e outros objetos que demonstravam não se tratar de um catador de papéis – que normalmente utilizam esses carrinhos para o trabalho. Também foi encontrada uma placa de madeira, entalhado o nome Mazzaroppi. “Este pode ser o apelido da vítima”, comentou um dos policiais que atendeu a ocorrência.

O corpo de Simão – seu nome foi apurado através de documentos que levava no bolso – foi encaminhado para o necrotério do Instituto Médico-Legal de Curitiba. Familiares ou conhecidos da vítima deverão fazer o reconhecimento oficial do cadáver e providenciar a liberação para o sepultamento.