A velha casa de madeira
servia para abrigar o desmanche.

Um desmanche que funcionava na Auto-Elétrica Yossoyama, na Rua Major Fabriciano do Rego Barros, 1029, na Vila Hauer, foi “estourado” no início da noite de segunda-feira, por policiais da Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos. O proprietário do estabelecimento, Jorge Massachigue Yossoyama, vulgo “Japonês”, 45 anos; Amaildo Martini, 53, e Amaildo Martini Júnior, 19, foram presos e autuados por receptação e adulteração de sinais de veículos.

O delegado Hamilton Cordeiro da Paz lembrou que a operação está ocorrendo em Curitiba e Região Metropolitana e tem como objetivo descobrir e fechar as oficinas e lojas de automóveis, que comercializam peças e veículos furtados ou roubados. “É a guerra contra os desmanches. Esta é a forma mais eficaz de combater o roubo e o furto de veículos”, salientou.

Prisão

Os investigadores Durieux e Festa estavam fiscalizando oficinas na região da Vila Hauer. De campana próximo a auto-elétrica, ele observaram a movimentação de veículos. Por volta das 19h de segunda-feira a Kombi furgão placa ABZ-2902, de São Mateus do Sul, entrou no estabelecimento, que funciona nos fundos de uma velha casa de madeira. Uma hora depois, o veículo, ocupado por dois homens, deixou o local. Os investigadores os abordaram em seguida. No veículo estavam Amaildo Martini e seu filho Amaildo Martini Júnior, que transportavam o assoalho e parte da lataria de um Vectra. Os ocupantes da Kombi alegaram que foram contratados por um desconhecido para fazer um frete e o homem pediu que eles dispensassem aquelas peças. Depois resolveram contar que pegaram as peças na auto-elétrica, de propriedade de “Japonês”, de onde haviam saído.

Aluguel

Os policiais retornaram ao local e encontraram diversas peças de veículos em um barracão no estabelecimento. Jorge alegou que alugou o barracão para Amaildo “cortar” carros. “Eles desmanchavam os carros na auto-elétrica e levavam para a AM Comércio de Peças Novas e Usadas, na Avenida Salgado Filho, 36, no Guabirotuba, para revender. A loja é de propriedade de Amaildo Martini e seu filho”, ressaltou o delegado.

Os presos, segundo o delegado, alegaram que “picaram” somente três carros na auto elétrica: o Vectra placa AAW-5018, tomado em assalto no dia 16 de abril, no Ahú; um Renault Mègane roubado no dia 29 de abril, no Abranches, e um Fócus roubado no dia 26 de abril, no Alto da Quinze. “Apreendemos um caminhão cheio de peças. As investigações continuam para identificar o restante da quadrilha e as peças apreendidas”, disse o delegado. Hamilton solicitou às pessoas que tenham qualquer informação sobre desmanches que possa ajudar à polícia, que entre em contato através do telefone 329-6744.