Depois de muitas informações desencontradas, o desaparecimento do menino Erick Donati Aires, de apenas dois anos de idade, teve um desfecho trágico na tarde desta terça-feira (17), com seu corpo encontrado pela polícia em Rio Branco do Sul, na região metropolitana de Curitiba.

Os policias só encontraram o corpo do menino, que estava dentro do carro da família em um matagal na Estrada Rural do Assungui, depois que seu pai, Daniel Pereira Aires, 43, decidiu revelar aos investigadores o que teria realmente acontecido. Segundo a polícia, Daniel teria tentado matar Erick afogando-o em uma represa, não tendo êxito, ele ainda teria tirado o garoto da água e o asfixiado com suas próprias mãos.

História mirabolante

O caso teve início na manhã de domingo (15), quando Erick e Daniel, teriam sido dados como desaparecidos, horas depois de terem saído de casa para passear em uma lagoa. Segundo a polícia, Daniel apareceu ainda na tarde de domingo e alegou ter sido vítima de bandidos, que teriam sequestrado os dois e assassinado a criança. História que não convenceu os policiais.

“Quando iniciamos as investigações Daniel nos relatou uma história mirabolante, dizendo ter sido vítima de sequestro e roubo, e que indivíduos, não tolerando o choro da criança, teriam disparado duas vezes, matando o menino de imediato. Ele relata que após luta corporal, conseguiu se evadir daquele local. Mas diante da nossa perspicácia e experiência começamos a notar que a história dele teria sido montada para encobrir, na realidade, o homicídio que perpetrou contra o seu próprio filho”, relata do delegado titular da Delegacia de Rio Branco do Sul Herthel Rehbein.

Motivação
O delegado também esclarece qual seria o motivo que levou Daniel a matar o próprio filho. “Ele fala coisas desconexas, dizendo que seria atingido por uma demissão na sua empresa e que sendo demitido, não teria como prover o sustento da sua família”. Agora Daniel deve seguir preso, em regime de prisão temporária.

Paraná Online no Facebook