Foto: Valquir Aureliano
Após a condenação os acusados
foram algemados e presos.

Os pais-de-santo, acusados de participar do assassinato do garoto Evandro Ramos Caetano, em um ritual de magia negra, em 1992, em Guaratuba, foram condenados, na noite de ontem, pelo júri popular.

Osvaldo Marcineiro e Vicente de Paula Ferreira pegaram 20 anos e 2 meses por homicídio triplamente qualificado (caracterizado por crime contra menor mediante pagamento e crueldade), seqüestro e cárcere privado. Já o ajudante de terreiro Davi dos Santos Soares foi condenado a 18 anos e 8 meses de reclusão por homicídio triplamente qualificado, porém absolvido por seqüestro e cárcere privado.

Os três saíram algemados do Tribunal direto à prisão. Após 60 horas, em seis dias, o julgamento terminou por volta das 20h50 de ontem. (Leia mais na edição de amanhã do jornal Tribuna do Paraná)