A Polícia Federal prendeu ontem 19 suspeitos de envolvimento no tráfico internacional de drogas. A Operação Athos desarticulou a organização criminosa e seu núcleo financiador, que detinha elevado poder econômico. Cerca de 250 policiais federais tinham para cumprir 22 mandados de prisão preventiva, 38 de busca e apreensão e nove conduções coercitivas, em Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná e Santa Catarina. A maioria das prisões foram feitas em Juiz de Fora (MG).

Os criminosos movimentavam milhões de reais, usando contas bancárias, serviços de doleiros e dinheiro em espécie. Para lavagem do dinheiro eram usadas empresas de transporte de passageiros e de comércio em geral. Além de documentos falsos, a quadrilha contava com uma rede de tráfico de influências, que ajudava na manutenção de suas atividades criminosas.

A quadrilha, que era uma das principais distribuidoras de drogas do País. Os entorpecentes eram trazidos da Bolívia e do Paraguai, até São Paulo, de onde também abasteciam Minas Gerais, Rio de Janeiro e região Nordeste.

No decorrer das investigações, foram apreendidos 594 quilos de cocaína, cerca de 1,5 tonelada de maconha, armas, carros e dinheiro.