Esmael dos Santos, o “Fainho”, 27 anos, confessou que matou a tiros Jonas de Melo Padilha, 20, porque foi xingado de “Pato Donald”. Ele foi preso segunda-feira, no bairro Libanópolis, em São José dos Pinhais, mesmo bairro onde o crime aconteceu, em 29 de julho, dentro do bar do João do Cipó. Esmael tem problema nas cordas vocais, que o impede de falar com clareza, e explicou à polícia que não aguentava mais os três meses que a vítima vinha tirando sarro de sua fala.

A prisão de Esmael fez parte da Operação Cinturão 4, realizada esta semana em São José dos Pinhais, e que vem sendo feita nos municípios da região metropolitana para cumprir mandados de busca e apreensão e de prisão. Além do esclarecimento de crimes, o objetivo da operação é coibir a criminalidade. Esta última, mobilizou 68 policiais civis, desde segunda-feira, em São José dos Pinhais.

Outra

Antes da operação ser realizada, a Polícia Civil da cidade prendeu, no dia 23 de novembro, Willian de Araújo, o “Camundongo”, 22. Investigações apontam que ele assassinou a tiros Tiago Júlio Batista, 26, no bairro Afonso Pena, na noite do dia 22 de novembro.

Segundo a esposa de Tiago, que presenciou tudo, Willian e mais um comparsa invadiram a casa da vítima e deram cinco tiros contra Tiago, que morreu na hora. A dupla fugiu numa Honda Twister, que teve a placa anotada pela vizinhança. Com a informação, a polícia conseguiu identificar um dos suspeitos e prendê-lo no dia seguinte.

Willian foi submetido ao reconhecimento da testemunha, que confirmou que ele era um dos autores. Na casa do detido, a polícia apreendeu um revólver calibre 38, jogado no beiral da residência. A arma já foi encaminhada para confronto balístico. Tiago não confessou o assassinato. Disse em interrogatório que só se manifestaria em juízo. O comparsa dele ainda não foi identificado.