Conhecido no bairro pelo temperamento agressivo e por sempre arrumar confusão, Maikon Rafael Pereira de Oliveira, 22 anos, foi encontrado morto, na manhã de ontem, num conjunto habitacional em construção, na Rua Presidente João Goulart, Tatuquara. O rapaz estava caído numa das ruas do loteamento, atrás de um colégio.

De acordo com policiais militares do 13.º Batalhão que atenderam à ocorrência, Maikon foi assassinado a pauladas e pedradas na cabeça.

Uma chave de fenda foi encontrada embaixo do corpo, porém não teria sido usada no crime. A Delegacia de Homicídios busca pistas do assassino. A vítima foi encontrada pelo guardião do conjunto, que chegou ao local por volta de 7h. Everth Freire, 27, disse que conhecia Maikon e, no início da noite de domingo, viu o rapaz tentando agredir um deficiente físico. “Ele ficava agressivo quando bebia e usava droga. Vivia se metendo em confusão”, contou.
Os PMs relataram que, por diversas vezes, estiveram no bairro para atender casos de agressão em que Maikon se envolvera e, por conta disso, o rapaz teria arrumado vários inimigos.

Vício

O tio da vítima, Adeir Rodrigues de Oliveira, contou que sobrinho morava com ele numa rua próxima e era usuário de crack desde os 15 anos. Por duas vezes esteve internado para se livrar do vício, o que já lhe rendeu algumas passagens pela polícia e dívidas com traficantes. Os policiais contaram que, por ser um local ermo, o loteamento é ponto de encontro de usuários de droga à noite.