Divulgação
João José Villalobos Cruz.

A polícia de Campinas (SP) continua investigando o caso da enfermeira acusada de ter abusado sexualmente das crianças que atendia no posto de saúde onde trabalha e da própria filha de 7 anos.

A mulher, identificada como "Flor" foi presa na última quarta-feira pelo Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente Vítimas de Crimes (Nucria), em Cornélio Procópio, após um pedido da Delegacia de Investigações Gerais de Campinas.

A polícia descobriu que a enfermeira mantinha um relacionamento com o também acusado de pedofilia – João José Maldonado Villalobos Cruz. Ele está sendo investigado pela polícia paulista e há suspeitas de que seja o responsável por uma rede de pedofilia com cerca de 600 internautas. Com Cruz foram apreendidas 9.700 imagens pornográficas em fotos e vídeos, envolvendo crianças, além de uma foto com "Flor" e a filha.

Foram realizadas gravações de conversas por telefone entre Cruz e a enfermeira que comprovam a participação dele no abuso sexual da filha dela.

Policias da delegacia de Campinas pretendem criar uma rede de denúncias com o objetivo de capturar pedófilos.