Eleutério conversou durante
15 minutos com os assassinos.

O pedreiro Marcos Roberto Eleutério, 22 anos, estava jantando quando foi chamado no portão de sua casa, pouco depois das 20h de sexta-feira. Passados alguns minutos, sua família ouviu tiros e encontrou o corpo dele caído na frente da casa, na Rua Ana Maria Pilatti Oliveira, Jardim Irai, Uberaba. Marcos foi morto por três indivíduos, que fugiram sem ser identificados.

A enteada de Marcos o avisou que três homens estavam chamando-o em frente de casa. Ele deixou o prato de comida sobre a mesa e foi atender o trio, que estava de bicicleta. Segundo relatado por familiares, passou-se cerca de 15 minutos e vários tiros fossem ouvidos. Por ter ficado conversando tanto tempo, é provável que a vítima conhecia seus assassinos. Porém, de acordo com a família de Marcos, ele não tinha rixa com ninguém e costumava ir direto do trabalho para casa.

Bicicleta

O caso foi atendido, primeiramente, pelos soldados Dallabrida e Edson, do Regimento de Polícia Montada, RPMont. Conforme contado a eles, um dos ciclistas ainda foi visto dando o último tiro no corpo já caído, antes de se juntar aos outros dois e desaparecer na vila. De acordo com levantamento preliminar da perita Clélia Fila, da Polícia Científica, o pedreiro foi atingido por três tiros na cabeça e um no ombro. No local, foram recolhidas cápsulas de projéteis calibre 380. A arma utilizada teria sido uma pistola.

O investigador Maurício, da Delegacia de Homicídios, colheu as informações para dar início ao trabalho policial para desvendar o crime.