Policiais do Grupo Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gerco) prenderam ontem, em Curitiba, o comerciante Cirço Kessau Nishimori, acusado de lavagem de dinheiro. Cirço é um dos proprietários do Auto Posto Matheus, localizado na Rua João Gualberto, Juvevê. A Promotoria de Investigação Criminal (PIC) vem investigando o posto de combustíveis por estar ligado a um comando do tráfico de drogas do Rio de Janeiro, que manteria negócios irregulares no Paraná para lavar dinheiro do narcotráfico.

Cirço estava com a prisão temporária decretada pela Central de Inquéritos, a pedido do Ministério Público,por lavagem de dinheiro.

Foi cumprida também, por policiais do Gerco, ordem de busca e apreensão em seis locais diferentes, onde foram coletados documentos e CPUs de computadores, que serão periciados.

Laranjas

Segundo investigações da PIC, o posto de gasolina teria sido comprado há pouco tempo pelo traficante carioca Ubiratan da Silva Oliveira, o “Bira”, que estava usando o nome falso de Antônio Cláudio Almeida. “Bira” seria ligado a Paulo César da Silva Santos, o “Linho”, comandante de uma poderosa facção do narcotráfico no Rio de Janeiro.

Depois da compra, o posto teria passado para o nome de dois “laranjas”: Juliana Dobrucki, 19 anos, namorada de Robson da Silva Oliveira – que é irmão de “Bira” – e Cirço Nishimori, tio de Juliana. Robson foi preso no dia 23 de abril, no Rio de Janeiro.