Quando foi chamado no portão de casa, no final da manhã de ontem, na Vila Barigui, Cidade Industrial, André Castro Gouveia, conhecido como “Japonês”, 30 anos, não imaginava que seria a última vez que ouviria seu nome.

O rapaz apareceu no corredor ao lado da residência para ver quem o chamava e foi surpreendido por um indivíduo armado, que invadiu o terreno e começou a atirar em sua direção.

Atingido por vários disparos, André saiu pela garagem para fugir do assassino e buscar socorro. Ele correu por aproximadamente 100 metros até cair morto dentro de um lavacar, na Rua Desembargador Cid Campelo.

Por volta das 11h, o atirador se aproximou da casa, na Rua Francisco Barranco, e chamou André pelo apelido. O rapaz, que mora com a mulher na residência dos fundos, caminhou até o corredor para ver do que se tratava.

Porém, quando apareceu, o criminoso já estava dentro do terreno e atirou pelo menos cinco vezes na vítima, com um revólver calibre 38. Bastante ferido, André voltou para a casa e saiu pela garagem para escapar do marginal, que também correu, mas na direção contrária.

No caminho, a vítima foi deixando enormes manchas de sangue, mas só parou de correr quando caiu agonizante no pátio do lavacar. Em poucos segundos, o rapaz perdeu a consciente e morreu.

O motivo do crime não foi apurado no local. Como o crime aconteceu em plena luz do dia, numa região bastante movimentada do bairro, a polícia acredita que moradores da região tenham visto o criminoso, embora ninguém deu informações aos investigadores.

“Conversamos com moradores e familiares, mas eles pouco falaram. Ninguém soube apontar um motivo, mas na sequência do trabalho policial a população deverá ajudar”, disse o investigador Magalhães.