A Polícia Federal desencadeou na manhã desta terça-feira (7) a operação “ZERO GRAU”, resultado de vários inquéritos que foram conduzidos pela PF em Naviraí (MS) que apura a atuação de quadrilha dedicada ao contrabando de cigarros em grande escala utilizando carretas-tanque e caminhões frigoríficos (razão do nome da operação).

A ação visa dar cumprimento a 16 mandados de prisão temporária, de busca e apreensão e oitiva de todos os envolvidos. Os alvos estão localizados também em cidades paranaenses, como Alto Paraíso/PR (01) e Maringá/PR (01). Outros alvos se encontram em Campo Grande/MS (02), Dourados/MS (03), Ponta Porã/MS (01) e Eldorado/MS (08). Para tanto, foram mobilizado 70 policiais federais.

A especialização da prática criminosa ficou constatada ao longo de quase doze meses de monitoramento, evidenciando a ação de grupo organizado, estruturado com base operacional na cidade de Eldorado/MS, dedicado à introdução proibida de grandes quantidades de cigarros oriundos do Paraguai na região sul e sudeste do Brasil.

As investigações indicam ainda que a organização vem atuando há pelo menos um ano na região, operando nos moldes de um empreendimento lícito. Os membros da organização criminosa possuem funções bem definidas de “gerentes”, “proprietários de caminhões”, “motoristas”, “batedores” e “olheiros”, todos conscientes de suas ações e empenhados em contribuir, na medida de suas participações.

Os veículos apreendidos estavam, na maioria das vezes, financiados e/ou registrados em nome de terceiros, “laranjas”, estratégia utilizada pela quadrilha para afastar a possibilidade de vincular seus membros ao ilícito.

As investigações revelam, ainda, uma possível simulação de contratos de locação dos veículos (caminhões), com datas retroativas a apreensão, confeccionados exclusivamente para fazer prova de que o caminhão estaria alugado para terceiros, ensejando a boa-fé do proprietário e isentando-o da responsabilidade criminal.

Os indivíduos identificados como gerentes da quadrilha assumem a responsabilidade de fazer a ponte entre o remetente da mercadoria e seus destinatários finais. Apurou-se que os remetentes, verdadeiros contratantes do transporte, encontram-se sediados no Paraguai, na região de Salto Del Guairá, enquanto os compradores localizam-se em cidades diversas da região sul e sudeste do país, nos Estados do Paraná e São Paulo.

Devidamente identificados, representou-se pela decretação da prisão temporária dos integrantes da organização criminosa e pela busca e apreensão em seus respectivos endereços, medidas que foram deferidas pela Justiça Federal de Naviraí (MS).

Até o momento, nove pessoas foram presas e três veículos foram apreendidos. A PF continua diligenciando para cumprimento dos mandados de prisão.