Jeferson de Freitas.

Acusado de assassinar um rapaz e deixar outro paraplégico, o ex- presidiário Jeferson Rafael de Freitas, 21 anos, conhecido por "Beto" foi novamente preso no último sábado, por policiais da delegacia de Almirante Tamandaré, quando tentava escapar pelo forro de sua casa.

No dia 31 de janeiro deste ano, Everton Pedro de Oliveira, 22, voltava para casa quando foi derrubado da bicicleta com três tiros na cabeça, no cruzamento das ruas José Milek Filho e das Olarias, Jardim Graziela. No local, familiares da vítima contaram à polícia que o autor seria Jeferson, uma vez que este o vinha ameaçando há algum tempo. A partir das investigações, dos interrogatórios e da conclusão do inquérito policial, o delegado Marcelo Lemos de Oliveira pediu a prisão preventiva do suspeito, decretada na semana passada. Na tarde do último sábado, os policiais foram até a casa dele, na Rua México, Jardim Graziela, e o prenderam.

Na delegacia, Jeferson confessou o crime, contando que, ao avistar seu inimigo, atirou uma vez na cabeça dele para derrubá-lo, e depois disparou outros dois tiros na nuca. "A gente discutiu em uma danceteria e ele me jurou de morte. Comprei um revólver calibre 38 para me defender e quando o vi o matei, senão era eu que iria morrer", justificou.

Everton foi assassinado cerca de um mês depois que tinha saído da cadeia, onde cumpria pena por roubo. Nos últimos dias, ele emprestara a bicicleta de um primo para procurar trabalho em Curitiba. E foi no retorno de uma dessas viagens que acabou morto, a poucas quadras de casa. Jeferson, que também já esteve preso durante seis meses por roubo, é acusado ter atirado em um amigo de Everton, meses antes de matá-lo. O disparo deixou o rapaz paraplégico.