Foto: Alberto Melnechuky

Vanderlei foi o primeiro a ser baleado.

O envolvimento com drogas do pintor Izaías de Tarso Sieben, 21 anos, fez com que ele e Vanderlei dos Santos Oliveira, 15 anos, fossem executados no início da madrugada de ontem, no Alto Boqueirão. Ambos dormiam em uma residência, na Rua Desembargador Oscar Carvalho e Filho, próximo à esquina com a Rua Maria Marques Camargo, na Vila Pantanal, quando foram surpreendidos por seis indivíduos armados de pistola 380, que entraram atirando. A amásia de Izaías, Elizandra Rodrigues da Silva, 23, que também estava na casa, foi baleada no ombro e internada no Hospital do Trabalhador.

Foto: Alberto Melnechuky

Izaías ainda deitado foi atingido várias vezes por tiros.

De acordo com testemunhas, as vítimas estavam deitadas e foram acordadas com o barulho de batidas na porta. Os rapazes perguntaram quem era e Vanderlei abriu a porta, quando os desconhecidos disseram ser policiais. ?Ele foi o primeiro a ser baleado, assim que os matadores entraram?, revelou o pai de Elizandra. Em seguida, Izaías foi atingido por tiros e ambos morreram na hora. Baleada no ombro esquerdo, Elizandra resistiu até ser socorrida pelo Siate e encaminhada ao hospital, em estado grave.

?De graça?

Comentários, no local do crime, eram que as execuções tinham sido motivadas por dívida de drogas. Porém, segundo o pai da garota baleada, Vanderlei estava apenas morando na casa, trabalhava e não tinha nenhuma ligação com entorpecentes. ?Ele morreu de graça?, disse o homem, que afirmou ter dado diversos conselhos à filha e ao genro, mas que não foi ouvido.

Ele afirmou ainda que Izaías já havia comentado que estava sendo ameaçado de morte, mas que não citou nomes. O crime está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios.