Em menos de seis horas, cinco assaltantes morreram em confronto com policiais militares. Dois foram mortos pelo 20.º Batalhão da PM, no Capão da Imbuia; dois, pelo 13.º BPM, no Pinheirinho, e mais um, pelo 17.º BPM, em Colombo. Os corpos foram levados ao Instituto Médico-Legal e, até o fim da tarde de ontem, não tinham sido identificados. Um policial ficou ferido.

Um dos casos começou na Vila Izabel, onde dois rapazes armados tomaram em assalto o Celta placa AGX-4395, na Rua Bororós, às 21h30 de quinta-feira. Eles foram vistos por policiais do 13.º Batalhão da PM, por volta de 1h20 de ontem, no Xaxim. Houve perseguição até a Rua Nicola Pelanda, onde os suspeitos colidiram o carro com a viatura policial.

Tiroteio

Alberto Melnechuky
Levados ao Hospital do Trabalhador, baleados não resistem.

A dupla abriu fogo e atingiu a viatura com vários tiros. O soldado Amaral foi ferido na perna e, enquanto era socorrido, outras equipes perseguiram os bandidos, que escaparam sentido ao Pinheirinho.

Segundo informações do 13.º Batalhão, na Rua José Afonso Cordeiro, esquina com Rua Doutor Abel Walter Brunnquell, no Conjunto Piratini, eles novamente colidiram o Celta, desta vez com uma viatura da Rondas Ostensivas de Natureza Especial (Rone).

“Outra vez aconteceu o confronto e os dois foram feridos. Nossa equipe prestou socorro e levou a dupla ao Hospital do Trabalhador, onde ambos morreram”, informaram os policiais.

O Celta era locado e, no interior do veículo, foram encontrados documentos do rapaz que tinha alugado o carro e da namorada dele. O casal foi até o hospital e reconheceu os mortos como os assaltantes.

Sangue na farmácia

Outro assaltante, armado com um revólver calibre 38 e usando capacete, invadiu uma farmácia, na Rodovia da Uva, Roça Grande, em Colombo, por volta de 20h de quinta-feira. Logo que anunciou o roubo e rendeu o balconista e o proprietário, foi surpreendido pelo policial militar Edson Diego Muller, morador nas proximidades.

O assaltante atirou contra Edson e, no revide, o policial o baleou duas vezes. Ele foi levado para o Hospital Cajuru e morreu em seguida. “Fizemos algumas diligências mas nenhuma moto foi localizada. Ou ele usava o capacete como máscara, para dificultar a identificação, ou estava na garupa de uma moto e o comparsa, ao ouvir os tiros, fugiu”, explicou o delegado Hamilton da Paz, responsável pelo inquérito. O rapaz aparentava ter 20 anos e possuía uma tatuagem no peito escrito “mãe”.

Perseguição termina no mato

Fábio Alexandre
Corsa usado no assalto não tinha sido transferido

Praticamente no mesmo horário em que o Celta era roubado na Vila Izabel, às 21h de quinta-feira, três homens armados assaltavam uma panificadora e uma pizzaria, na Rua Leopoldo Belzak, Capão da Imbuia. Eles fugiram com o Corsa placa AIG-3568, levando um notebook, oito celulares, dinheiro e alguns pertences de clientes.

Segundo o capitão Krainski, comandante da 2.ª Companhia do 20.º Batalhão de Polícia Militar, uma viatura cruzou com o veículo, nas proximidades da Avenida Affonso Camargo, e iniciou a perseguição. Os suspeitos colidiram o veículo na mureta da ponte do Rio Atuba, abandonaram o carro e tentaram fugir a pé, embrenhando-se num matagal.

Fábio Alexandre
Armas apreendidas com dupla.

Tiros

“Quando os policiais entraram no mato, foram recebidos a tiros e revidaram. Dois suspeitos foram atingidos e um conseguiu fugir”, contou. Os PMs levaram os baleados ao Hospital Cajuru, onde morreram.

Segundo o delegado Paulo de Castro, da Delegacia de Furtos e Roubos (DFR), com a dupla foram apreendidos uma pistola calibre 380 e um revólver calibre 38, além dos objetos roubados. “As vítimas estiveram no hospital, reconheceram os dois assaltantes”, informou Castro.

O Corsa, em nome de uma moradora de Almirante Tamandaré, havia sido vendido recentemente e não tinha sido transferido. “O carro está apreendido e vamos aguardar a identificação dos dois para dar inicio às investigações”, completou o delegado.

Suspeito de tráfico

Everton Fernando de Jesus, 21 anos, suspeito de ser o dono de 343 quilos de maconha, apreendidos na manhã de anteontem, no centro de Campo Largo, também morreu em confronto com policiais militares, como o Paraná-Online divulgou na edição de ontem. Ele reagiu à voz de prisão armado com uma garrucha. Na mesma operação, a PM deteve os pais de Everton e dois casais, em uma chácara onde a droga estava escondida.