A Polícia Civil de Cascavel desenvolve nesta semana uma operação de fiscalização em lojas de autopeças usadas. Os trabalhos foram iniciados na tarde de segunda-feira (28) e, desde então, vários acessórios de veículos com procedência ilícita foram apreendidos.

Com a constatação das irregularidades, a polícia decidiu intensificar ainda mais os trabalhos e a decisão foi a de que todas as lojas, sem qualquer tipo de exceção, que atuam neste ramo em Cascavel serão alvos da fiscalização. Até o início da manhã da última segunda-feira (28), dois empresários haviam sido presos em flagrante pelo crime de receptação qualificada. Quando os trabalhos foram retomados nesta terça-feira (29), mais um acusado foi preso pelo mesmo motivo.

Para esta modalidade de delito, em razão da pena variar de 3 a 8 anos de reclusão, não cabe fiança. Os presos identificados como Rondineli Frutuoso, Anderson Rodrigo Franke e Diogo Brzozoski foram colocados à disposição do Poder Judiciário.

Ressalta-se que a operação de fiscalização foi desenvolvida pelos investigadores que integram o GDE (Grupo de Diligências Especiais) e nesta ocasião comandados pelos delegados Luiz Rogério Ramos Sodré e Nagib Nassif Palma. ““A determinação é de que estes estabelecimentos sejam minuciosamente vistoriados. Constatamos a existência de peças que tiveram suas numerações lixadas ou suprimidas, o que caracteriza crime””, conclui o delegado Luiz Rogério Sodré.