Policiais da Divisão de Narcóticos (Denarc) de Curitiba realizou uma operação policial iniciada na tarde de segunda-feira (6) e que resultou na prisão de três pessoas e na apreensão de 11 quilos de crack, duas pistolas – uma de numeração raspada e outra simulacro de uma pistola calibre 45 -, uma balança de precisão, quatro rádios-comunicadores e um automóvel.

A droga estava escondida no tanque de combustível de um veículo Celta, que vinha de Foz do Iguaçu para Curitiba.

Cerca de 96 policiais participaram da operação cumprindo ao todo 24 mandados de busca no bairro Pilarzinho e no município de Almirante Tamandaré. A Denarc contou com o apoio do Cope (Centro de Operações Policiais Especiais), Nurce (Núcleo de Repreensão a Crimes Econômicos), Rone (Rondas Ostensivas de Natureza Especiasl), Coe (Comando e Operações Especiais) e Choque.

Segundo o delegado da Denarc, Renato Figueiroa, a operação é resultado de uma investigação que a divisão vem fazendo há aproximadamente dois meses em parceria com o núcleo da Denarc de Foz do Iguaçu.

“Essa investigação visa identificar os pontos de tráfico em Curitiba e Região. Tivemos a informação de que uma grande quantidade de droga proveniente de Foz do Iguaçu estava vindo abastecer o tráfico de Curitiba. Então, deflagramos a operação”, afirma o delegado.

Segundo o delegado do setor de inteligência da Denarc de Curitiba, Fábio Amaro, o veículo com a droga saiu de Foz por volta das 5 horas da manhã de segunda-feira (06) e era dirigido por Cristiane Vieira dos Santos, 20 anos, acompanhada de Claudemir Freitas dos Santos, 19 anos. O carro foi abordado em um posto de combustível em Campo Largo por policiais que estavam de campana aguardando a chegada do veículo.

“Quando encaminhamos os dois suspeitos e o veículo até a Divisão, encontramos a droga escondida no tanque. Os 11 quilos de crack estavam divididos em 11 tablóides, de 1 quilo cada. Cada tablóide poderia ter rendido, no mínimo, R$ 3 a 4 mil se for vendido em Foz do Iguaçu. Se entrar no mercado em Curitiba, esse valor se multiplica cerca de quatro vezes”, explica o delegado Figueroa.

Cristiane disse para a polícia que não sabia que a droga estava no veículo, que é de sua propriedade. Já Santos afirma que recebeu aproximadamente 2 mil reais para trazer o crack até Curitiba e que esta não seria a primeira vez que ele fazia esse serviço. A partir da prisão dos dois suspeitos, a Denarc desencadeou o cumprimento dos 24 mandados de prisão em pontos que iriam ser abastecidos com a droga apreendida.

Paulo César Freitas, de 20 anos, foi detido com as duas pistolas (uma de numeração raspada e outra simulacro de uma pistola calibre 45). Outras cinco pessoas foram ouvidas na delegacia e liberadas. A polícia ainda apreendeu uma balança de precisão e quadro rádios de comunicação.

As investigações continuam na Denarc de Curitiba e de Foz do Iguaçu para identificar quem fornecia a droga para ser revendida em Curitiba e demais integrantes da quadrilha.

Osvaldo Martins Neves, de 41 anos, foi identificado pela polícia como um dos traficantes que revenderia a droga na capital e está sendo procurado. Ele é foragido da Colônia Penal Agrícola desde janeiro de 2007 e também é procurado pelo homicídio de Lucas Ângelo Menoli, em fevereiro deste ano, devido a acerto de tráfico de drogas.

Cristiane e Santos irão responder por tráfico e associação ao tráfico de drogas e Freitas por porte ilegal de armas. Eles serão encaminhados para o Centro de Triagem de Piraquara onde ficarão à disposição da Justiça.