Dez pessoas foram detidas na operação que
deve continuar durante toda a semana.

Uma operação conjunta envolvendo a Promotoria de Investigação Criminal (PIC), a Polícia Civil e a Polícia Militar apreendeu, na tarde de ontem, cerca de 90 máquinas caça-níqueis em três municípios da Região Metropolitana de Curitiba (RMC): Pinhais, São José dos Pinhais e Piraquara. Outras 30 máquinas foram lacradas e devem ser recolhidas hoje. Dez pessoas foram detidas e encaminhadas às delegacias locais. Até o final desta semana, o grupo deverá percorrer outros municípios da Grande Curitiba. A operação também acontece nas principais cidades do interior do Paraná, onde foram apreendidas 64 máquinas ontem, segundo o promotor Dicesar Augusto Krepscy, da PIC.

“É uma operação para combater efetivamente os jogos de azar”, apontou. “Não é preciso dizer que o jogo é proibido no Brasil todo, nem falar dos problemas que ele gera, como o vício. Há quem considera, inclusive, o jogo de azar como crime de estelionato”, completou. Além das máquinas caça-níqueis, o jogo de bicho também deverá ser combatido.

O promotor teceu ainda duras críticas à polícia. “Há, no mínimo, tolerância das polícias Civil e Militar, assim como há em relação à prostituição, que por si só não é crime, mas a exploração sim”, comentou. “Quem deveria estar agindo aqui é o delegado local, não a gente.”

Operação

A operação caça-níqueis teve início por volta das 13h, quando cinco equipes deixaram Curitiba e seguiram em direção aos estabelecimentos. O maior número de apreensões aconteceu em Pinhais, onde 36 máquinas foram encontradas em quatro locais -Global Loterias; Pinhais Loterias; Loterias Global, e Loterias Vitor Ltda. Quatro pessoas foram detidas e encaminhadas à Delegacia de Pinhais, segundo o sargento Vladimir, que acompanhou a operação. Entre elas, o proprietário da Pinhais Loterias, Ademar de Lima Junior, e a proprietária da Loterias Global, Sueli da Silva Bezerra.

Em São José dos Pinhais foram apreendidas 23 máquinas e detidas seis pessoas. Em Piraquara houve cerca de 30 apreensões de máquinas. Além disso, outras 30 máquinas foram lacradas nos três municípios, mas não foram levadas até o depósito judicial, no antigo barracão da Sundown, porque os baús dos três caminhões que participavam da operação ficaram lotados, segundo o promotor. As máquinas devem ser apreendidas hoje.

Penalidade

A exploração de jogos de azar fere o artigo 50 da Lei de Contravenções Penais. O delegado do Grupo Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gerco), Miguel Stadler, explica que os proprietários dos estabelecimentos que exploram este tipo de jogo são encaminhados às delegacias locais e respondem o termo circunstanciado no Juizado Especial.