A Delegacia de Homicídios investiga as circunstâncias da morte do ajudante de motorista Adílson Batista Cerqueira, 34 anos. Vítima de facadas dentro de sua residência, na Rua Aparecida Feliciano Caetano, Vila Modelo, Cidade Industrial, ele chegou sem vida ao Hospital do Trabalhador às 2h30 de ontem. O caso foi inicialmente apontado como suicídio, mas a polícia ainda não tem certeza do que, de fato, ocorreu.

Creuza Bonfim, amásia da vítima, disse aos investigadores que atenderam o caso, que Adílson acordou-se à 1h30 de ontem para fumar um cigarro. Após alguns minutos, ela se levantou e encontrou o companheiro caído ao lado do fogão, junto a uma faca de cozinha suja de sangue. Ele tinha quatro perfurações no peito.

Uma vizinha chamou o Siate, que levou Adílson ao hospital. O sangue derramado na casa de peça única foi lavado, prejudicando o trabalho da perícia. A quantidade de facadas na vítima intrigou investigadores, que deverão ouvir parentes e amigos do motorista na tentativa de esclarecer o mistério. Alguns policiais disseram ser bastante difícil alguém se matar com quatro facadas.