A delegada do Núcleo de Repressão aos Crimes Contra a Saúde (Nucrisa), Paula Brisola, responsável pela investigação envolvendo os pacientes mortos na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Evangélico afirmou, na tarde desta quarta-feira (08), que novas denúncias estão sendo investigadas.

A delegada disse também que uma auditoria está ocorrendo no hospital e que a conclusão desta auditoria pode resultar na abertura de novos inquéritos policiais e, dependendo das provas produzidas, outras pessoas poderão ser presas.

Relembrando o caso

A denúncia feita pelo Ministério Público (MP) e pelo Nucrisa envolve a médica Virgínia Helena Soares de Souza, acusada de ser a principal suspeita de abreviar a morte de pacientes, com o objetivo de “desentulhar” a UTI do Hospital.

Virgínia foi acusada de homicídio duplamente qualificado e formação de quadrilha, pela morte de sete pacientes. Outras quatro pessoas acusadas de participação no esquema também foram presas.