A Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc) de Pato Branco prendeu segunda-feira (27) três pessoas acusadas de tráfico na cidade de Coronel Vivida, no sudoeste do Paraná. Celso Soares, 26 anos, Artevir Candido Azevedo, 31, e Dyekson Nogueira, 24, foram presos em um posto de combustível na saída para Mangueirinha, onde negociavam drogas. Com eles, foram apreendidos 100 gramas de crack, cerca de R$ 800, R$ 340 em cheque, 26 dólares, três aparelhos celulares e duas motos.

“A prisão desses três traficantes é resultado de uma investigação de mais de dois meses. Estamos apertando o cerco contra o tráfico de drogas no sudoeste do Paraná e felizmente estamos conseguindo um bom resultado”, afirmou o delegado-chefe da Denarc de Pato Branco, Adriano Chohfi.

Os policiais da Denarc afirmam que a prisão dos três homens faz parte da operação iniciada no final de semana para prender traficantes da região. Essa mesma operação policial já havia prendido, no sábado (25), o traficante Valmor Perusso, 45 anos, rival de Celso Soares. Valmor foi preso com 200 gramas de crack, 25 gramas de cocaína, R$ 2.860 e R$ 2.500 em cheque.

De acordo com o delegado Adriano Chohfi , Celso Soares é apontado como um dos chefes do tráfico de drogas na cidade de Coronel Vivida e também é suspeito de ser o assassino de Antônio Alves de Oliveira, o “Antoninho Missioneiro”, que levou dezessete tiros, em sua casa, no sábado (25) à noite.

A morte de “Missioneiro” estaria ligada à disputa do comando do tráfico de drogas na cidade de Coronel Vivida. Celso é suspeito também da prática de outro homicídio na cidade de Palmas.

Os outros dois traficantes detidos são da cidade de Mangueirinha e teriam ido a Coronel Vivida comprar drogas de Celso Soares para revender. Todos vão responder por tráfico de drogas e Celso também será autuado por homicídio.