A Corregedoria Geral da Polícia Civil, com apoio do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), cumpriu, nesta sexta-feira (14), três mandados de prisão temporária contra três investigadores. Eles são suspeitos de desviar cerca de 15 quilos de crack, da 13.ª Subdivisão Policial, em Ponta Grossa, Campos Gerais. Um homem, que não é policial, ainda é procurado pela polícia.

A droga foi apreendida por policiais militares em julho do ano passado. Em abril deste ano, descobriu-se que parte do crack apreendido tinha sido substituída por parafina, com denúncia ao Ministério Público. O caso passou a ser investigado e os mandados de prisão e de busca e apreensão foram emitidos neste mês, pela 2.ª Vara Criminal de Ponta Grossa.

“As investigações não param e serão intensificadas para apurarmos a responsabilidade de cada suspeito”, comentou o corregedor-geral da Polícia Civil, Paulo Ernesto Araújo Cunha. Os detidos serão novamente ouvidos pela polícia. Seus nomes serão informados no fim do processo.

Dois dos policiais foram detidos na manhã desta sexta-feira, em suas residências, em Ponta Grossa. Outro, se apresentou com seus advogados na 13.ª Subdivisão. Eles foram transferidos para Curitiba, onde permanecem detidos na carceragem da Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos. “A Corregedoria da Polícia Civil está vigilante a desvio de conduta dos policiais. Estamos trabalhando para fortalecer a instituição”, afirmou Cunha.