Investigadores da Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos prenderam em Pinhais, na madrugada de quinta-feira (24), dois integrantes de uma quadrilha acusada de adulterar chassi e placas de carros roubados, falsificar documentos do veículo e carteiras de habilitação. A chave de um dos três carros estava escondida na cueca de um dos presos.

A polícia procurava Laurici Pielak há mais de 15 dias. Ele é apontado como experiente falsificador de documentos de carro. Os policiais fizeram campana numa residência do Jardim Alto Tarumã e viram a entrada da Montana placa AWK-1821, roubada segunda-feira, no Campo Comprido. O veículo já estava com outra placa.

Material

No local foram presos Deivid de Oliveira Pielak, 20 anos, filho de Laurici, e Fernando Antônio Muller, 41. A Montana e o Gol, AAW-1820, que também estava com o chassi adulterado, foram recuperados. A polícia ainda não conseguiu apurar o chassi original do Gol. Na casa também foram apreendidos decalques com numeração de chassi, folhas de cheque em branco, munições de calibre 45 e carteiras de habilitação falsificadas. Laurici não foi encontrado.

O delegado Renato Bastos Figueiroa, titular da DFRV, acredita que outras pessoas podem estar envolvidas na falsificação dos documentos. As investigações continuam para que a polícia consiga identificar os responsáveis pelo roubo e receptação dos carros.

Chave

Na delegacia, Fernando foi revistado e os policiais encontraram uma chave na cueca dele. Eles voltaram à residência e pelo alarme da chave descobriram o Santa Fé, ARZ-3399, roubado em Minas Gerais. Fernando usava o veículo e portava uma carteira de habilitação com sua foto e o nome do verdadeiro proprietário do carro.

Fernando já esteve preso por estelionato, falsidade ideológica, falsificação de documento público, roubo e adulteração de sinal identificador de veículo, em Santa Catarina e no Paraná. Deivid tem antecedentes por porte ilegal de arma de fogo de uso restrito, receptação e adulteração de sinal identificador de veículo.