Policiais rodoviários federais se organizaram em protesto pela restruturação da carreira na manhã desta quinta-feira (02). Eles se encontraram em frente à sede do Sindicato dos Policiais Rodoviários Federais (SINPRF-PR), na Rua Delegado Leopoldo Belczak, no bairro Capão da Imbuía e, sem obstruir totalmente o trânsito, foram em caminhada até o prédio da PRF na Linha Verde.

De acordo com o presidente do SINPRF-PR, Sidnei Nunes, a intenção é chamar a atenção da sociedade e do governo para o descaso com a Segurança Pública. Segundo os agentes, precisa haver melhorias na segurança das estradas e contratação de mais policiais para os postos da PRF. Atualmente, cada posto trabalha com apenas dois agentes por plantão.

Os policiais rodoviários federais também afirmam que não vão aceitar a proposta de reajuste de 21,3% em quatro anos. Eles esperam que seja feita uma reestruturação da carreira, pelo Ministério do Planejamento.

Cruz

Foto: Divulgação/PRF.

A caminhada dos agentes da PRF foi aprovada durante reunião no sindicato, nesta quarta-feira (24), com a participação de mais de 80 policiais.  Em frente à sede da 7ª Superintendência Regional de Polícia Rodoviária Federal (SRPRF-PR) foram colocadas faixas e também cruzes de madeira, simbolizando as vidas que não foram salvas no trânsito das rodovias, por falta de efetivo maior para fiscalização mais rigorosa.

Os policiais também protocolaram um pedido coletivo de remoção de todos os PRFs do serviço administrativo, para atividade. “Lutar pelos nossos direitos com força e união, é mostrar a nossa insatisfação e a necessidade do reenquadramento salarial dos Policiais Rodoviários Federais”, defendeu o presidente do SINPRF-PR.

Entre os dias 13 e 17 de julho os policiais devem voltar a manifestar, dessa vez pelo auxílio fronteira. O comando nacional da categoria não descarta greve, caso as reivindicações não sejam atendidas.