Autuado em flagrante por tentativa de homicídio e por ameaça, o policial civil Alois Rigler, que na madrugada de domingo surtou no plantão do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope) e disparou tiros de fuzil contra um televisor, está na carceragem da Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos, sob os cuidados de um psiquiatra. O investigador não se lembra o que aconteceu, conforme informou aos seus superiores.

Um projétil ricocheteou na parede, passou por uma porta de ferro e o estilhaço atingiu a barriga do policial Wilson Miguel Rudinik, 43 anos, que estava do lado de fora. Ele deve receber alta hoje.