Um policial militar da reserva, de 51 anos, sofreu sequestro relâmpago, no início da tarde de hoje (17), no Portão. Duas horas depois de ser feito refém por três homens encapuzados e ser obrigado a entrar num Gol branco, o PM conseguiu fugir do cativeiro e apareceu no Hospital do Trabalhador.

No local, ele preferiu não comentar o caso. De acordo com uma testemunha, a vítima pilotava uma moto em direção a uma loja de autopeças quando foi cercado pelo carro dos marginais na Avenida República Argentina, na Vila Guaíra.

Os documentos do policial teriam caído no chão e um dos marginais teria dito a ele “é você mesmo”. Ele foi colocado à força no banco traseiro do carro e levado até local incerto.

O sequestro mobilizou várias viaturas que passaram a fazer buscas pelos bairros ao redor. Um amigo da vítima contou no local que a ação foi muito rápida e que se o policial não entrasse no carro a família dele iria pagar por isso.

Em 2011, o sobrinho do policial, de 19 anos, foi vítima de uma tentativa de homicídio no bairro Novo Mundo. O rapaz foi socorrido pelo tio que o levou para o Hospital Trabalhador em seu próprio carro. Na época do crime,

testemunhas disseram que o atirador foi visto entrando numa viatura do 13o Batalhão da PM, que teriam dado cobertura a ele. O rapaz já havia sido preso por envolvimento com tráfico de drogas. Um dos suspeitos da tentativa de homicídio foi preso dois meses depois do crime.