Foto: Átila Alberti/Tribuna

Gilmar e Cristiano não
ofereceram resistência.

Um soldado da Polícia Militar, de folga, impediu o roubo de uma carga, na noite de segunda-feira, no bairro Afonso Pena, em São José dos Pinhais. Ele avisou seus colegas, que entraram em confronto com os assaltantes. Gilson Sales da Costa, 30 anos, e Josinei da Silva, 21, foram mortos durante a troca de tiros; e Gilmar Sales da Costa, 21 (irmão de Gilson), e Cristiano da Silva, conhecido como "Cris" ou "Tiano", 19, foram presos e autuados em flagrante por roubo e receptação pelo delegado Noel Francisco da Silva, da delegacia de São José dos Pinhais. Com o quarteto os policiais apreenderam quatro armas, um Astra roubado e a motocicleta usada nos crimes.

Eles tentaram roubar, às 21h15, o caminhão da América Latina Logística (ALL) placa AHL-9203, carregado com bebidas, que trafegava pela BR-277, naquele bairro. Para azar do quarteto, o soldado Rui Fernando dos Santos, da 1.ª Companhia do 17.º Batalhão, também trafegava pela rodovia. Apesar de estar de folga, seu instinto de policial não falhou.

Ele percebeu que os marginais, que ocupavam um Astra e a motocicleta CG-125 placa AMP-3778, tentavam abordar o motorista.

"Eu estava sozinho e fiz contato por telefone com a Companhia", contou Rui. O soldado repassou as placas do Astra e da motocicleta e obteve a informação de que o veículo havia sido tomado em assalto, em Curitiba. "Tive certeza que eles iriam praticar outro crime. Passei a rota de fuga do Astra para meus colegas e segui a motocicleta com o meu carro particular, até a chegada dos outros policiais", relatou.

Confronto

Policiais da 1.ª Companhia locaizaram rapidamente o Astra e fizeram a abordagem. Cristiano e Gilmar, que ocupavam o veículo não esboçaram reação. Os dois rapazes entregaram as armas e foram presos pelo sargento Jorge, cabo Dudikoski e pelos soldados Devanil, Mota e Borges. Em seguida, os PMs foram até a casa de Gilmar, onde localizaram os acessórios retirados do Astra.

O tenente José Renato Micrute, comandante da 1.ª Companhia, contou que a abordagem da motocicleta foi realizada com o apoio de policiais da Rondas Ostensivas Tático Motorizado do 17.º Batalhão. "Os dois homens tentaram escapar e abriram fogo contra os policiais, que revidaram", afirmou Micrute. No confronto, Gilson e Josinei foram feridos. Eles foram socorridos pelos próprios policiais, mas não resistiram e morreram a caminho do hospital.

Investigações

O chefe de investigação da delegacia de São José dos Pinhais, Altair Ferreira, disse que as investigações continuam para apurar se há outras pessoas envolvidas com o quarteto e outros crimes praticados pelo grupo. Ele solicitou às pessoas que reconhecerem Gilmar e Cristiano que entrem em contato com a delegacia, através do telefone 3283-5868.

Carro recém-roubado

Na mesma noite, por volta das 20h, os acusados abordaram um homem que conduzia o Astra placa AIY-0272, no bairro Capão Raso, em Curitiba. Cristiano contou que ele conduziu o veículo até São José dos Pinhais e que Josinei e Gilson deram cobertura com a motocicleta. "Eu estava sozinho no carro", disse o rapaz, na tentativa de inocentar Gilmar. Em seguida, o quarteto foi até a casa de Gilmar, onde depenou o Astra retirando estepe, toca-CD, e outros acessórios. "Eu nem sabia o que estava acontecendo, me prenderam em casa", alegou Gilmar, que foi preso pelos policiais militares dentro do Astra roubado, segundo a PM. Ele também ficou espantado ao receber a notícia de que, durante confronto com a polícia, seu irmão havia morrido. "Ele já tinha passagem por roubo", contou. (VB)