Figura polêmica nos meios políticos do Paraná, o ex-deputado estadual e ex-prefeito de Apucarana José Domingos Scarpelini, 62 anos, foi preso em flagrante, às 10h30 de ontem, quando trafegava pela Rua João Gbur, Boa Vista, dirigindo um veículo Pólo com placa clonada (DWN-8090, de São Paulo). Autuado em flagrante por receptação, pelo delegado Artem Dach, da Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos, Scarpelini ficou preso.

Interrogado, apresentou uma versão pouco convincente para explicar a procedência do automóvel. Disse que o adquiriu por R$ 5 mil, de um indivíduo conhecido por “Betão”, morador no Caximba.

De acordo com o delegado, o carro foi encaminhado para perícia, de forma que seja apurada sua procedência. O Pólo, segundo Dach, está com chassi e número de motor adulterados, e documentos de identificação falsos.

Multas

Scarpelini recebeu várias multas, que foram enviadas ao dono do veículo original, em São Paulo. O verdadeiro proprietário, ao receber as multas, procurou o Departamento de Trânsito (Detran) paulista, que nunca tinha estado em Curitiba.

O Detran do Paraná foi comunicado e pediu investigações ao Batalhão de Polícia de Trânsito (BPTran). O serviço reservado da unidade começou o trabalho mapeando os locais onde aconteceram as multas (eram quase todas na mesma região).

Scarpelini disse ao delegado que comprou o carro do “Betão”, sem saber que era “clonado”. Revelou que tinha dado apenas uma parte do dinheiro e acertaria o restante quando recebesse alguns documentos.

Ainda conforme seu interrogatório, ele supunha que se tratava de um “pisera”, como é conhecido o veículo financiado por um “laranja” e que é revendido para várias pessoas, por valor mínimo. No entender do ex-deputado, se fosse parado pela polícia, só o veículo seria apreendido e ele não iria para a cadeia.