Foto: Alberto Melnechuky

Robson, 15 anos, brigou com a mãe e foi morar sozinho.

A ponte que une a Vila Bela Vista e o Jardim da Ordem, na Rua Tenente Antônio Emilio Vaz Lobo, no Tatuquara, ganhou o apelido de ?Ponte da morte?. Tudo por conta de dois assassinatos cometidos nas noites de quarta e quinta-feira, um em cada margem.

Robson Luiz Timóteo dos Santos, 15 anos, foi executado com um tiro na cabeça, por volta de 22h de quinta-feira. Ele estava caído ao lado de uma cerca, a alguns metros da ponte, no lado da Vila Bela Vista.

Segundo Marcos Fernando, amigo de Robson, recentemente ele se desentendeu com sua mãe, moradora no Santa Rita, e foi morar na Vila. ?Não sei porque eles brigaram, mas acho que ele estava morando sozinho no beco?, contou o amigo.

Investigação

O investigador Ney, da Delegacia de Homicídios (DH), disse que vai ouvir o depoimento de alguns familiares do garoto para começar as investigações. ?As pessoas não falam. Ninguém sabe nada, ninguém viu nada. As pessoas só contam que ouviram o tiro?, lamentou.

Enquanto a polícia ainda fazia as anotações e isolava o local, aguardando a perícia criminalística, vários tiros foram ouvidos na região. ?Aqui toda a noite é assim. Às vezes os tiros são dentro da vila?, contou um morador.

Outro

O outro crime aconteceu na noite de quarta-feira, por volta de 23h, quando Elias Cordeiro, 22 anos, passava pela ponte e foi atingido com quatro tiros. Ele caiu no canal e teve que ser içado pelo Corpo de Bombeiros. Robson era servente de pedreiro e pai de dois filhos.