t81010205.jpg

Cleo foi surpreendido por
desconhecidos. Sua morte atraiu
a atenção de moradores do bairro.

O prato de feijão-com-arroz veio ao chão quando tiros arrebentaram a guarita do condomínio Mirante da Serra, na Rua Camacuan, Uberaba. Cleo Robson Mendes dos Santos, 23 anos, porteiro do conjunto de classe média-alta, jantava no instante em que foi assassinado, às 21h45 de domingo. Motoqueiros ainda não identificados cometeram o crime.

Minutos antes, três homens foram à casa da vítima, na Rua Abóbora, conjunto Marumbi, também no Uberaba. Inocentemente, a esposa contou que Cleo estava trabalhando, e os desconhecidos – e possíveis assassinos – foram embora.

Tiros

Testemunhas contaram que uma moto Titan vermelha, com dois ocupantes, passou bem perto da guarita. O garupa atirou três vezes, estilhaçando o vidro e atingindo Cleo, que tinha uma prato de marmita nas mãos. Baleado no peito, o porteiro morreu antes da chegada do Siate.

Cleo era funcionário da empresa de segurança privada Centurion e trabalhava naquele posto havia dois meses. Como nada foi roubado, a possibilidade de assalto foi logo descartada. Até agora, família e polícia não têm idéia dos motivos do crime. "Ele morava no bairro fazia uns 10 anos. Nunca soube que tivesse envolvimento com nada errado", falou o tio, Carlos Roberto. O caso está sob responsabilidade da Delegacia de Homicídios.