Este ano o Corpo de Bombeiros já registrou três afogamentos em rios e cavas na região de Curitiba e, pelas estatísticas, estes foram apenas os primeiros casos de muitos que ainda poderão ocorrer. Em 2001 foram 60 mortes no Estado e no ano passado, 51. A maior parte dos acidentes ocorreu em rios e lagos, mas as cavas também apresentam um sério risco para a população.

A maioria das vítimas é de jovens que procuram rios, lagos e cavas para se refrescar nos dias mais quentes. Geralmente os pais não sabem que os filhos freqüentam esses lugares. O tenente Itamar Barreto da Mota aconselha os responsáveis pelos adolescentes a conversar mais e alertá-los sobre o perigo que estão correndo.

Ele diz que as cavas são verdadeiras armadilhas, devido ao fundo irregular. No último dia 4, dois rapazes morreram em uma cava em São José dos Pinhais, um tinha 18 anos e o outro, 16. “Você dá um passo e pode cair num buraco de três a quatro metros”, diz o tenente. Além do terreno irregular há muito lixo no fundo, como pneus e aros de bicicleta. As algas que crescem nesses locais também são um perigo. “Elas podem esconder animais e crianças pequenas podem ficar presas”, explica. Outro problema são as cavas que têm fundo de argila. O tenente diz que uma vez resgatou o corpo de um rapaz que ficou com a cabeça e os braços presos no fundo.

Com relação aos rios, os mergulhos e saltos de pontes e pedras são os que mais fazem vítimas. O tenente comenta que é comum as pessoas brincarem em um determinado local em um ano e em outra temporada procurar o mesmo lugar. Mas depois de tantos meses a correnteza pode mudar as pedras de lugar e ainda arrastar galhos e troncos de árvores. O mergulho sem uma vistoria no local pode ser fatal. Outra situação perigosa e comum é os pais deixarem crianças brincando sozinhas em locais que parecem seguros. “Pode aparecer um bicho e levar a criança para o fundo”, diz o tenente.

Orientação dos bombeiros

Veja algumas dicas do Corpo de Bombeiros para evitar acidentes:

Nunca nade sozinho.

Não faça uso de bebidas alcoólicas se for nadar.

Respeite o período de duas horas após as refeições.

Nunca salte de pedras ou estruturas artificiais, como pontes.

As crianças devem estar sob a supervisão de adultos.

Nunca superestime a sua capacidade física.

Saiba que os rios além do perigo da correnteza, podem conduzir entulhos como lixo, galhos de árvores.

O fundo das cavas são irregulares, podendo apresentar grandes profundidades.