Policiais da Delegacia de Homicídios (DH) prenderam nesta sexta-feira (26) dois suspeitos de matar a facadas e depois incendiar um homem na linha do trem no bairro Tatuquara, em Curitiba, na madrugada do dia 21 de março. Os dois suspeitos são irmãos e um deles confessou para a polícia que matou a vítima porque ela teria se relacionado com a mulher dele enquanto estava preso por cometer outro homicídio.

De acordo com a delegada titular da DH, Vanessa Alice, o corpo de Valdecir do Rosário Santana foi encontrado na linha do trem na manhã do dia 21, por moradores da região. “Nossos policiais se deslocaram para o local do crime logo após a confirmação da ocorrência e coletaram as primeiras informações que possibilitaram o inicio das investigações que foram comandadas pelo delegado Rafael Ferreira Vianna”, disse.

Arlindo Alves Lamp, 33 anos, e Pedrinho Antonio Lamp, 42 anos, têm passagem pelo sistema penitenciário por homicídio e foram presos por força de mandado de prisão expedido pela Justiça. Eles foram localizados pela polícia quando estavam escondidos na residência da irmã deles que é cercada de mato e fica em uma região isolada na divisa dos bairros Tatuquara e Cidade Industrial de Curitiba e Araucária, Região Metropolitana de Curitiba. “Foi uma ação rápida e precisa, os suspeitos tentaram fugir, mas foram cercados e rapidamente detidos pelos policiais”, afirmou o delegado Vianna.

Em depoimento à polícia, Arlindo Lamp disse que matou Valdecir do Rosário Santana porque a vítima havia se relacionado com a mulher dele enquanto ficou preso. Arlindo também relatou que a vítima o havia denunciado para a polícia no homicídio que o deixou preso nos últimos cinco anos. O irmão de Arlindo disse ter apenas presenciado a morte e ajudado no transporte do corpo até a linha do trem.

Os dois suspeitos responderão por homicídio qualificado. Eles serão encaminhados para o Centro de Triagem II, onde ficarão à disposição da Justiça.