O Governo do Estado vai abrir aproximadamente 2 mil vagas no sistema penitenciário até o fim de 2012. O objetivo é reduzir o número de detentos custodiados em cadeias do Paraná.

O compromisso de um trabalho conjunto para esvaziamento de delegacias e transferência de presos foi firmado nesta segunda-feira (17) durante reunião de secretários estaduais de diversas áreas no Palácio Iguaçu.

Nos próximos dias serão abertas 500 vagas na Penitenciária Estadual de Cruzeiro do Oeste, no Noroeste do Estado. Outras 230 serão criadas na Colônia Penal Industrial de Maringá.

Mais de 800 serão disponibilizadas com a implantação de camas adicionais, que serão distribuídas nas unidades prisionais do Paraná. “O esforço que faremos é para chegar no final do ano com menos de 10 mil presos em delegacias”, disse o secretário da Segurança Pública, Cid Vasques.

Em dezembro de 2010, o número de presos em delegacias no Paraná era de mais de 16 mil. Segundo o Sistema de Informação de Penitenciárias (Infopen), atualmente o número foi reduzido para 11,9 mil.

Além de Vasques, participaram do encontro a secretária de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos, Maria Tereza Uille Gomes; o secretário-chefe da Casa Civil, Luiz Eduardo Sebastiani; o secretário-chefe de Gabinete, Deonilson Roldo; o secretário da Administração e Previdência, Jorge de Bem; o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Roberson Bondaruk; e o delegado-geral da Polícia Civil, Marcus Vinícius da Costa Michelotto.

Agenda

De acordo com Cid Vasques as reuniões serão constantes. “Nossa primeira reunião de trabalho foi importante para o estabelecimento de uma agenda permanente de encontros.

Cada um dos presentes sai daqui com uma missão e uma tarefa. As perspectivas são muitos boas. Até o final do anos vamos transferir esses presos”, disse. Para secretária de Justiça, Maria Tereza Uille Gomes, a questão prisional é uma preocupação permanente do governador Beto Richa.

“Já reduzimos em 27% o número de presos em cadeias desde o início de 2011. Agora, o Departamento Penitenciário Nacional aprovou os projetos do Paraná para a construção de novos presídios, criando cerca mais 6 mil vagas. Serão investidos R$ 160 milhões com recursos nacionais e estaduais”, explicou a secretária.

Para Luiz Eduardo Sebastiani, a resolução do problema é urgente. “O relacionamento cooperativo entre as secretarias de Justiça e Segurança Pública é importante para que tomemos decisões rápidas e objetivas”, disse.