Juliano Marins de Almeida (foto), 30 anos, foi detido, suspeito de ter mantido a ex-namorada presa em casa por dois dias e tê-la estuprado nesse período. Ele também é investigado por homicídio. O homem nega os dois crimes.

A moça foi sequestrada em abril, mas Juliano foi preso apenas em 30 de maio, com um revólver calibre 38 e oito munições. Ele garante que passou apenas um dia com a ex-namorada, e que não estava armado. Foi autuado por cárcere privado, por estupro, e pelo porte ilegal da arma.

Juliano já cumpriu 10 anos por roubo e responde a acusação por tráfico de drogas. Ele é investigado pela morte de Carlos Alberto Severino, 52 anos, assassinado em 24 de abril, na Rua José Loureiro, centro.