Acusado de pelo menos quatro assassinatos, Odair José Santiago, 22 anos, o “Beiço”, foi preso ontem de manhã, pela Delegacia de Homicídios. Entre as vítimas de crimes atribuídos a ele estão dois irmãos, mortos a tiros no bairro do Umbará. Um deles, Denis de Oliveira, 18, foi executado na tarde da última sexta-feira, na invasão Vila Tripa, durante uma pelada de futebol.

As investigações da DH apontaram que “Beiço” e um certo Luiz Carlos, conhecido como “Animal”, seriam os autores da morte de Denis. Uma testemunha disse que os dois homens chegaram num Corsa verde, dirigido por “Beiço”, e estacionaram perto do campo de futebol atrás da Rua Ferdinando Fermino Franciosi. Ambos se aproximaram da vítima e lhe disseram algo em voz baixa. Imediatamente Denis tentou correr, mas levou um tiro na cabeça, que teria sido disparado por “Beiço”. O ferido caiu numa valeta e “Animal” o teria atingido por outros quatro disparos.

Parentes de Denis disseram que o rapaz temia “Beiço” e era ameaçado por ele.

Mais crimes

O acusado tem mandado de prisão pelos assassinatos de Anderson Ferreira da Silva, 17; Maurílio de Oliveira, 27, e Alessandro Rosa, 15, baleados em 25 de outubro de 2003, junto à linha férrea na Vila Futurama, Umbará. Maurílio era irmão de Denis e teria sido o alvo principal do crime. Na ocasião, a polícia afirmou quer o tráfico de drogas tinha relação com o crime e que um homem identificado como “Bafo” seria o co-autor.

Preso no Jardim Tupi, em Araucária, “Beiço” nega todas as acusações. Ele afirma que não conhecia Denis e que na hora do crime estava em um pesque-pague. Também disse não ter qualquer envolvimento com o triplo homicídio. Um homem, dizendo-se advogado do preso, não permitiu que ele fosse fotografado, mas a DH anunciou que hoje apresenta “Beiço” oficialmente à imprensa hoje. “Animal” mudou-se da Vila Tripa no dia do assassinato e desde então não foi mais visto. (CS)

Identificado outro acusado

O homem que executou Paulo César de Andrade Santiago, o “Paulinho Boy”, 32 anos, com nove tiros, já está identificado pela polícia. A informação é do superintendente da Delegacia do Alto Maracanã, Job de Freitas, que prefere não divulgar o nome do atirador. “Estamos no encalço dele”, afirmou.

“Paulinho Boy” foi assassinado no último dia 18 de março, na parte externa de uma lanchonete situada próximo da delegacia do Alto Maracanã, em Colombo.

De acordo com levantamentos realizados pela polícia, “Paulinho Boy” estava sozinho quando o atirador se aproximou e discutiu com ele por alguns segundos. Em seguida, sacou a pistola e atirou na vítima. “O Paulinho era viciado em drogas e acreditamos que estava devendo para o autor. Quando foi executado, ele segurava nas mãos uma bucha de maconha”, lembrou Job.