Policiais do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope) recapturaram, na tarde de quarta-feira, Jeferson dos Santos Padilha, 20 anos, conhecido como “Ki Suco”, Luiz Gabriel da Silva Oliveira, 20, Fábio Rodrigues dos Santos, 19, o “Juninho”, e Hamilton Bonfim Clementino, 46, foragidos da delegacia de Campina Grande do Sul na noite de sábado.

Além deles, também foram presos Robson Mendes Pereira, 18, Anderson Hofmann, 20, Felipe Rafael Ferreira,19, Adriano Ferreira Ramos, 20, Luciano Silva Ferreira, 24, e Claudemir Rodrigues da Costa, 31, acusados de participar do arrebatamento.

A polícia descobriu que Hamilton não fugiu,mas foi levado como refém, para ser trocado por um carro, dado pelos familiares do preso. A polícia foi avisada da extorsão e deixou que o “resgate” fosse pago, na tarde de quarta-feira, quanto todos foram presos em flagrante.

A fuga aconteceu às 22h de sábado, quando três homens fortemente armados invadiram a delegacia, renderam o único plantonista e libertaram “Ki Suco”, preso por tráfico de drogas e assalto. No entanto, os presos Luiz Gabriel e “Juninho” também fugiram. Hamilton, que estava dormindo,
foi levado à força.

Resgate

Segundo a delegada Vanessa Alice, logo depois da fuga, os integrantes da quadrilha entraram em contato com familiares de Hamilton e exigiram um carro em troca da liberdade dele.

“Eles iam pegar um Fiesta, possivelmente para praticar outros crimes”, contou a delegada. Segundo ela, os familiares do preso denunciaram a extorsão e combinaram a troca no pátio de um supermercado.

“Ki Suco” está internado no Hospital do Trabalhador, devido a um ferimento antigo na perna, segundo a delegada. Hamilton retornará para a delegacia de Campina Grande do Sul e os demais, que foram autuados por formação de quadrilha, receptação e extorsão, serão encaminhados para o Centro de Triagem, em Piraquara.

Suspeitas de outros crimes

A polícia apreendeu com o grupo duas algemas, um colete balístico, uma espingarda calibre 12, uma pistola e as chaves da delegacia. Também foram encontradas algumas jóias, que haviam sido roubadas de uma joalheria, em Morretes.

“Eles são perigosos e audaciosos. Prova disso foi a invasão da delegacia para liberar um comparsa. Acreditamos que eles devem ter praticado outros crimes e, com a imagem deles na mídia, outras vítimas devem aparecer”, completou a delegada. As pessoas que quiserem fazer denúncias anônimas ou reconhecimentos, podem ligar para o Cope, no telefone 3284-6562.