Para conseguir dinheiro para comprar algumas pedras de crack, o ex-comerciante Luiz Carlos Correia, 28 anos, foi preso em flagrante às 10h de ontem, furtando o corrimão do antigo prédio do Conselho Regional de Odontologia, que está para alugar, na Rua da Paz, centro.

O soldado J. Inácio, do Pelotão de Motos do 12.º Batalhão da Polícia Militar, patrulhava a região, quando recebeu a informação da invasão do edifício. Um morador viu Luiz pulando o muro durante a noite e, pela manhã, ouviu o barulho de corrimão sendo arrancando. “Entramos no terreno e o prendemos em flagrante. Ele já foi preso por tentativa de homicídio e pela Lei Maria da Penha”, comentou o policial.

Luiz negou que ia vender o metal para comprar drogas. “Estava com fome e ia vender as peças para comprar algo para comer”, defendeu-se. Ele foi autuado por furto, mas como o crime tem pena de até 4 anos, ele será enquadrado na Lei 12.403, que determina que seja arbitrado fiança compatível com a renda. Assim que conseguir pagar, será liberado.

Amantes

No 1.º Distrito Policial, centro, Luiz contou que era dono de um ferro-velho em São José dos Pinhais e comprava materiais recicláveis de diversas famílias. Um dia, quando chegou para trabalhar, flagrou a esposa mantendo relações sexuais com um funcionário.

Desnorteado, pegou uma barra de ferro e partiu para cima dos amantes. Ele foi preso em flagrante e foi condenado a dois anos de prisão por tentativa de homicídio.