Binho foi preso no bairro Parolin, em Curitiba.

Policiais do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope) prenderam na quarta-feira (23), no Parolin, Jéferson Luiz de Lima, de 40 anos, suspeito de chefiar uma quadrilha que praticou diversos roubos, em diferentes regiões de Curitiba. Entre os roubos estaria a joalheria, que foi invadida com um carro, no feriado de 7 de setembro.

De acordo com a polícia, o Jéferson é um homem perigoso, mas não muito corajoso. Ele seria quem ficava na retaguarda de todas as ações criminosas, conforme informou o delegado Rodrigo Brown. “O Jéferson levantava os locais onde aconteceriam os roubos, decidia sobre os carros que seriam roubados, mas não agia. Ele aliciava adolescentes e marginais da região e até fornecia armamento para as ações, mas ficava observando de longe para não ser visto”, explicou.

Jéferson foi preso por conta de um mandado de prisão. Mas com ele, a polícia encontrou alguns relógios, que teriam sido levados de uma joalheria, no Centro de Curitiba. Esse teria sido o último ataque do bando.

Comparsa agredido

Antes do homem, os policiais também prenderam Eduardo Bersulotti Trentini, de 34 anos. Segundo a polícia, ele teria comprado, de Jéferson, um veículo roubado.

Na carceragem do Cope houve confusão, quando Jéferson chegou. Ele reconheceu Eduardo e foi para cima do homem, desconfiando de que ele teria dado informações aos policiais. “Ele começou a discutir, pedindo para que Eduardo mudasse o depoimento dele, que tirasse a culpa das costas dele, e depois ainda o agrediu”, contou o delegado.

A agressão foi registrada pelas câmeras de segurança instaladas na carceragem. Jéferson se complicou ainda mais e, além dos crimes de roubo, furto, associação criminosa e receptação, vai responder também por coação no curso do processo, já que agrediu Eduardo dentro da carceragem. Já o homem agredido responderá por receptação.

Binho, de costas, também foi autuado por receptação.

Relembre o momento em que a joalheria foi assaltada:

Paraná Online no Facebook