O corpo de Audinor foi
encontrado no sofá, pelos vizinhos.

Divisão de produtos ilícitos. Este teria sido o motivo da execução do ex-presidiário Audinor Alves do Santos, mais conhecido como ?Audir?, 21 anos, que foi assassinado por volta das 15h de ontem, em uma casa na Rua Recife, 68, no Jardim Bonilauri, em Pinhais. Os autores seriam três menores -um deles de 14 anos – que estão sendo procurados pela polícia.
Os investigadores Barbosa e Ubiratã, da Delegacia de Pinhais, estiveram no local e apuraram que Audinor estava em sua casa, na Rua Porto Alegre, a poucos metros do local do crime, quando recebeu um telefonema para ir até a residência, que está vazia, já que a proprietária faleceu e um rapaz só costuma ir à noite para dormir no local. Audir iria buscar um televisor. Atraído, ele deixou sua casa rapidamente e avisou que já retornaria.
Minutos depois moradores da Rua Recife ouviram quatro disparos e, na seqüência, viram três garotos saindo da casa correndo. Pouco depois resolveram ver o que tinha acontecido e acharam Audir deitado no sofá com um tiro no ouvido e três na cabeça. ?Apesar de menores, vamos apurar a identificação completa destes garotos e eles serão punidos?, garantiu o delegado Artur Zanon. Ele disse que os investigadores já estão à procura dos adolescentes.
Antecedentes
O delegado contou que Audir havia saído da Colônia Penal Agrícola (CPA), em Piraquara, há aproximadamente três meses, onde cumpriu pena por roubo. ?Inclusive eu já tinha solicitado à Justiça a prisão preventiva dele por roubo. Só que ele morreu antes que fosse decretada?, comentou Zanon.
O delegado informou que, no dia 9 de julho, Audir e Elias Lustosa dos Santos, 22 anos, roubaram uma motocicleta. Na ocasião, Elias foi preso e autuado em flagrante, e Audir conseguiu escapar. Depois da prisão do comparsa, ele foi até a casa do pai da vítima, proprietária da motocicleta, e agrediu o homem. A família que também morava no Jardim Bonilauri?, salientou o delegado.