Um dos homens que aterrorizou a Vila Santa Maria, em Fazenda Rio Grande, na manhã de segunda-feira, e executou a sangue-frio dois pais de família, foi preso ontem por policiais do município e do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope). Gerson Pereira de Oliveira, 35 anos, foi capturado dentro do seu salão de beleza, na Vila Verde, Cidade Industrial de Curitiba.

De acordo com o delegado do município, Antônio Rocha, no mesmo dia em que ocorreram os assassinatos os investigadores receberam informações de que um dos criminosos seriam um cabeleireiro que morou na Vila Santa Maria. A polícia conversou com alguns profissionais do ramo, que trabalham em Fazenda Rio Grande, e descobriram o endereço do salão, situado na CIC. Pela manhã de ontem os investigadores foram até lá para verificar a informação e identificar o criminoso. Por volta das 13h30 a equipe voltou ao local e prendeu o acusado.


Gerson, agiu cruelmente, escondendo o rosto com um gorro. (Foto: Átila Alberti)

Cerco

Segundo o investigador Valdir Ferreira dos Santos, os policias cercaram a quadra e entraram no salão situado na Rua Jornalista Rubens Ávila. Gerson tentou fugir, mas foi preso pelo investigador Kaled, que participava do cerco. No salão foi apreendido um colete à prova de bala, munição para revólveres calibre 38 e 22, uma balaclava (capuz que deixa apenas os olhos à mostra) e um revólver calibre 38 de oito polegadas. Os policiais não encontraram a espingarda calibre 12 que também foi usada nas execuções. A polícia acredita que a outra arma está com o comparsa de Gerson, identificado apenas como ?Carioca?. Ele ainda está sendo procurado. Testemunhas disseram que um terceiro homem participou das mortes, mas não há pistas de seu paradeiro.

Motivo

Na casa de Gerson foi encontrado um boletim de ocorrência, de 2003, em que o criminoso disse estar sendo ameaçado por moradores da Vila Santa Maria. Segundo o delegado, Gerson pertencia a associação de moradores da região e, naquele ano, foi expulso pelos vizinhos, o que o obrigou a mudar-se para Curitiba. Os policiais acreditam que ele tenha voltado para se vingar dos moradores da vila.

Gerson é acusado de ser um dos homens que, na segunda-feira pela manhã, foi visto percorrendo as ruas do bairro armado com escopeta, uma pistola e usando gorro. Por volta das 8h, os marginais assassinaram dois trabalhadores em locais distintos. O catador de papel Adair Correia, 41 anos, foi o primeiro a ser executado ao ser surpreendido quando voltava para casa, na Rua Caxias do Sul. Ele foi morto com um tiro de escopeta nas costas e outros – de arma de menor calibre -no peito. Adair era pai de 12 filhos.

Após a execução os assassinos saíram andando, ainda empunhando as armas. Eles caminharam por uma quadra, até a Rua Uberaba, e mataram o pedreiro José Carlos Samuel, 48, com um tiro de escopeta na cabeça. A vítima trabalhava em uma construção, com outros três homens. Um dos colegas de José foi baleado e passa bem, e os outros conseguiram fugir ilesos. A ação dos marginais criou pânico na população, principalmente entre as crianças que se recusaram a voltar ontem à escola. Horas depois, os moradores realizaram uma manifestação, exigindo a prisão dos criminosos.