Desde janeiro, a delegacia de Campina Grande do Sul pede à Justiça a prisão preventiva de um homem, que já foi detido várias vezes, suspeito de agredir a ex-mulher.

Como o mandado não foi concedido, ele ficou em liberdade e continuou a persegui-la. Depois de mais um caso de violência, ele voltou para a cadeia. O frentista Davi Ribeiro Lopes, 41 anos, encontrou a ex-mulher na rua, na noite de terça-feira, no bairro Ribeirão Grande.

Segundo a polícia, ele deu um tapa no rosto da jovem, de 22 anos, e tentou bater nela novamente, mas a moça conseguiu fugir e chamar a Polícia Militar. Os policiais localizaram Davi e o encaminharam até a delegacia.

Facão

Em depoimento, a vítima informou que, na semana passada, Davi tentou matar seu atual companheiro armado de um facão. Um amigo do casal tentou apartar a briga e saiu ferido na testa.

Davi e a jovem viveram juntos por cinco anos e têm um filho de 4 anos. Devido ao ciúme do homem, o relacionamento foi encerrado. A Justiça determinou que ele deveria pagar pensão de R$ 300 à ex-mulher, e que ele não poderia se aproximar mais dela.

“Há indícios que a jovem corre risco de morrer pelo ciúme doentio de Davi, que não admitiu perder a mulher para outro homem e vem agindo de forma irracional. Por isso reiteramos o pedido de prisão preventiva e esperamos que seja deferido”, desabafa o delegado Gerson Machado, titular da delegacia de Campina Grande do Sul.