Um suspeito de envolvimento na morte do agente penitenciário Carlos Alberto Pereira, 52 anos, foi preso ontem por investigadores da Delegacia de Homicídios. Nilson Ramos Paula, 25, foi detido em sua residência, no Tatuquara, com um revólver calibre 38 e o Audi A3 placa AWP-0069, que teria sido usado no crime.

A polícia ainda cumpriu mandados de busca e apreensão em outras três residências e encontrou uma pistola calibre 380. De acordo com as investigações, o crime foi motivado por desavença entre o agente penitenciário e Nilson, que seria traficante da região.

“Não há indícios que a morte de Carlos tenha qualquer relação com a atividade que exercia. Ele também não tinha envolvimento com drogas, mas se desentendeu com o traficante”, informou o delegado Rafael Vianna.

Testemunhas

Conforme foi relatado por testemunhas, um indivíduo estacionou o Audi numa rua ao lado da residência do agente penitenciário. Em seguida, o assassino desceu do veículo e caminhou em direção à vítima, que pintava o portão de casa. O marginal disparou pelo menos três vezes em Carlos e fugiu no carro. Como o atirador estava encapuzado, nenhuma testemunha conseguiu identificá-lo.

A partir das investigações, a polícia chegou até Nilson e solicitou seu mandado de prisão temporária. “Chegamos a ele por causa do veículo”, afirmou o delegado. Também foram decretados quatro mandados de busca e apreensão.

As armas apreendidas serão encaminhadas à perícia, mas o delegado não acredita que tenham sido usadas no homicídio. Ao lado do corpo, a perícia encontrou cápsulas de pistola calibre 9 milímetros. “O criminoso pode ter usado a pistola calibre 380 com munições de calibre 9 milímetros, por isso vamos analisar essa arma”, ressaltou Rafael.

Antecedentes

Segundo a polícia, Nilson já responde inquéritos por tráfico de drogas e homicídio e agora também será indiciado por porte ilegal de arma e outro homicídio. “Ele foi preso por suspeita de participação numa chacina, em que quatro pessoas foram assassinadas, em Araucária”, informou o delegado. O crime aconteceu no Jardim Sol Nascente, em janeiro de 2009.