“Me arrependo do que não faço. O que faço, assim está feito”, afirmou, friamente, Rafael Moura Costa, 20 anos. Ele é apontado pela polícia como autor do disparo que atingiu a gerente da loja da TIM, Adriana Filus, 35 anos, no centro de Curitiba, em uma tentativa de assalto, e foi preso na tarde dessa quinta-feira.

Rafael disse que atirou em Adriana porque o alarme da loja foi acionado. “Ela resolveu dar uma de esperta e puxou um dos celulares que tinha alarme, e eu vi quando ela fez isso”, afirmou. No dia 16 de julho, o bandido que tentava assaltar a loja, na Rua Marechal Deodoro, atingiu a barriga da gerente com um disparo. Ela foi encaminhada ao Hospital Evangélico e, apesar da gravidade, sobreviveu. 

Rafael ainda criticou a atitude de Adriana. “Todo mundo escuta de delegado e da polícia: ‘não reaja’. Mas aí a pessoa quer dar uma de valente, né?”.  “Se fosse uma parente minha ia ter vingança. Aí eram outros 500”, comentou o suspeito. 

De acordo com o Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), Rafael é suspeito de pelo menos 15 roubos em lanchonetes, lojas de telefones celulares e de calçados, em Curitiba e região metropolitana. Questionado sobre o porquê de ter começado a cometer os crimes, ele atribuiu à falta de oportunidades.

“Você fica sem emprego, começa a procurar, ninguém te chama, ninguém te abre uma porta, aí você vai pro dinheiro fácil. Todo bandido tem essa mente”, disse. Ele vai responder por tentativa de latrocínio (roubo seguido de morte), pelos roubos e pelo porte ilegal de arma.

O rapaz ainda afirmou estar despreocupado com a reação de familiares em relação à prisão. “Eles não pagavam o meu arroz, o meu feijão. Era eu quem sustentava a mim mesmo, então ninguém deve nada a mim”. 

Reconhecido

O delegado Rodrigo Brown explicou que a divulgação das imagens das câmeras de segurança da loja da TIM auxiliou a identificação do autor do disparo. “Conseguimos vários suspeitos e um deles acabou sendo reconhecido pelas vítimas. Diante disso, representamos pela prisão preventiva dele no Poder Judiciário”, comentou. Rafael foi preso nas proximidades do Hospital Evangélico, no bairro Bigorrilho.

Na casa de familiares do rapaz, em Almirante Tamandaré, conforme o delegado, foram apreendidos diversos aparelhos celulares roubados, uma pequena quantidade de entorpecentes, a arma usada no crime (um revólver calibre 38) e dois simulacros.