Pelo menos 29 pessoas já foram presas na manhã de hoje durante a Operação São Francisco, da Polícia Federal (PF), deflagrada no Paraná e mais dois Estados com o objetivo de reprimir o tráfico internacional de animais. Entre os presos estão servidores públicos com cargos em postos de fiscalização e repressão dos próprios crimes investigados. A polícia apreendeu materiais ligados ao tráfico e algumas aves.

Estão sendo cumpridos 32 mandados de prisão e 42 para busca e apreensão, os quais serão cumpridos em residências, empresas e repartições públicas em Curitiba, São José dos Pinhais, Londrina, Maringá e Foz do Iguaçu, no Paraná, Florianópolis, em Santa Catarina, e, no Estado de São Paulo, em Ribeirão Preto, Araraquara, Piracicaba, Campinas, Capivari e na capital paulista.

Também foram decretados pela Justiça o sequestro dos bens de uma empresa e de uma pessoa física, além de mandados de prisão e de busca e apreensão para cumprimento no exterior, com apoio da Interpol.

De acordo com investigação iniciada há oito meses, foram identificados os integrantes da maior quadrilha brasileira de tráfico de animais silvestres, principalmente aves da fauna brasileira que eram vendidas no exterior – onde alcançam preços exorbitantes – bem como importadas ilegalmente, para venda no mercado clandestino interno.

 

Os animais encontrados vivos em cativeiro serão apreendidos pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e encaminhados para um centro de triagem de animais. Havendo viabilidade técnica, serão devolvidos para seus países de origem os animais trazidos ilegalmente e repatriados os exemplares levados clandestinamente do Brasil.