Ação conjunta dos policiais da Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc) dos Núcleos de Londrina e de Pato Branco prendeu três suspeitos de tráfico de drogas, em Londrina. Na tarde de sábado (01), em um posto de gasolina na zona sul de Londrina, o trio foi detido com 11,355 quilos de crack. A droga seria dividida em cerca de 45 mil pedras, que, segundo a polícia, valem cerca de R$ 220 mil.

Segundo o delegado-chefe do núcleo de Londrina, Michael Eymard Araújo, informações davam conta que uma van, pertencente a uma empresa de turismo na Argentina, iria a Londrina com uma carga de entorpecente.

No veículo, foram presos o motorista Ovídio Javier Urbina, 31 anos, e Miguel Angel Benitez, 38, guia de turismo. Eles faziam a entrega da droga para Maicon Ferreira de Carvalho, 21, que também foi preso. O delegado explicou que Benitez e Urbina são argentinos e estavam usando o veículo da empresa de turismo para transportar a droga, sem o conhecimento dos patrões.

“Com a identificação da Sprinter, placas de Puerto Iguaçu, as equipes acompanharam o veículo até um posto de gasolina e prenderam o trio, no momento em que negociavam a droga com Carvalho, que é brasileiro. Os dois argentinos tinham contatos com traficantes da região, e estavam usando a empresa em que trabalhavam, como fachada para o transporte da droga”

Para o delegado que responde interinamente pela Divisão, Renato Bastos Figueiroa, se comparados no mesmo período do ano passado, houve aumento significativo na apreensão de crack na região de Londrina, “O investimento no setor de inteligência da unidade vem dando resultados positivos com o aumento de 25 % na apreensão de entorpecentes, notadamente o crack. Este trabalho vai continuar para dar tranqüilidade à sociedade”

Os três acusados foram indiciados em flagrante por tráfico e associação para o tráfico e podem pegar de 5 a 15 anos de prisão. Eles foram removidos para a carceragem do 2.º Distrito de Londrina, onde ficam à disposição da Justiça. As investigações continuam para identificar a procedência da droga e o envolvimento dos argentinos com tráfico de drogas na região.