Dez presos escaparam do 1.º Distrito Policial, no centro, na noite de domingo. Eles serraram as grades da janela e fugiram pelo estacionamento da 2.ª Regional de Saúde Metropolitana, ao lado da delegacia.

Até o final da noite de ontem, nenhum deles havia sido recapturado. Na rua, cometeram alguns roubos contra transeuntes. Ontem investigadores e delegados passaram a tarde em reunião discutindo a questão da segurança do distrito, situado na Rua André de Barros, 671, esquina com Travessa da Lapa.

A fuga ocorreu por volta das 20h, quando caía um temporal no centro. O barulho da chuva disfarçou o das serras usadas nas grades e no vitrô, e a movimentação não foi notada pelos plantonistas.

A janela da carceragem dá acesso ao estacionamento da Regional de Saúde, que possui duas saídas. O portão da Rua André de Barros tem um vigilante, mas ele havia fechado a porta da guarita para não se molhar e não viu nada.

Os evadidos saíram pelo portão da Rua Barão do Rio Branco, que não tinha vigilância. No trajeto, a polícia só encontrou um chinelo de dedo, com a tira arrebentada, abandonado por um dos fujões.

Assaltos

Pouco depois da evasão, algumas pessoas apareceram no 1.º DP, informando terem sido assaltadas próximas dali. Apesar da oportunidade de sairem todos os presos, sete preferiram ficar.

O Centro de Operações Policiais Especiais (Cope) foi chamado e ficou na delegacia até que a situação fosse controlada. Os que ficaram foram remanejados de cela, até que a outra seja consertada.

Por conta do ocorrido, o atendimento no 1.º DP ficou prejudicado no domingo à noite e na madrugada de segunda-feira. As vítimas que chegavam ao local para registrar queixas diversas foram orientadas a voltar no outro dia.