Presos do 12.º Distrito Policial (Santa Felicidade) recusaram o almoço de ontem, como protesto para garantir a visita mensal. Os policiais fizeram uma manifestação, reclamando que cuidar de presos é desvio de função e não permitiram que parentes visitassem os detidos. Apesar da confusão em frente à delegacia, os serviços de atendimento ao público funcionaram normalmente.

No decorrer da semana, os policiais se organizaram para impedir as visitas. Eles alegam que, ao cuidar dos presos diariamente e organizar o período de visitas os tira de suas funções principais, como investigar crimes. De acordo com o presidente do Sindicato das Classes Policiais Civis do Paraná (Sinclapol), André Gutierrez, à medida que os familiares chegavam à delegacia, recebiam a explicação do porquê do impedimento da entrada. Alguns entenderam, mas outros organizaram um pequeno protesto na frente do distrito, espalhando o lixo da delegacia pela calçada e rua.

Efeito

A confusão surtiu efeito. A Secretaria da Justiça (Seju) transferiu, durante a tarde, 22 presos do 12.º DP e mais oito de outras delegacias para a Casa de Custódia, em Piraquara. Antes das transferências, o distrito, que tem capacidade para 36 presos, tinha 125 amontoados. Porém, André afirma que havia 134 detentos antes das transferências.

A Seju ainda explicou que os outros ainda estavam em regime de prisão em flagrante e não tinham mandado de prisão emitido ou o cumprimento do mandado de prisão não estava lançado pelo delegado no sistema.