Os presos mantidos provisoriamente no 1.º Distrito Policial defecam em marmitas, urinam em garrafas PET e precisam se revezar para encontrar espaço no chão na hora de dormir. Essa foi a realidade encontrada, na manhã de ontem, pelos membros do Conselho da Comunidade na Execução Penal da Comarca de Curitiba.

A presidente do órgão, Isabel Kugler Mendes, e a secretária Elisabete Subtil de Oliveira averiguavam denúncias de maus-tratos e encontraram 42 homens aprisionados em um espaço que comporta oito presos. Segundo o conselho, oito estão com sarna, um com pneumonia e outros dois com membros quebrados.

“Há duas celas, cada uma para quatro pessoas, que estão abrigando 20. Outros 22 estão um espaço que seria de circulação entre as duas celas. Como não há banheiro, os próprios presos improvisaram um buraco no chão e afixaram um garrafa ali. A evacuação tem ocorrido nas ‘marmitex’ esvaziadas após o almoço”, conta Isabel.