Policiais do 7.º Distrito Policial (Vila Hauer) estão aguardando que Tiago da Silva Ribeiro se apresente para concluir o inquérito do homicídio do latoeiro Augusto Eritom da Silva, 22 anos. O crime aconteceu no dia 24 de fevereiro passado, na Rua Salvador de Ferrante, esquina com a Rua Oliveira Viana, no Boqueirão. “Caso ele não se apresente vamos ter de pedir a prisão preventiva”, salientou o superintendente Celso Gomes Ribeiro, do 7.º DP.

Dias depois do assassinato Tiago foi até o distrito, acompanhado de um advogado, confessando que era o autor do crime. Como o caso ainda estava sendo investigado pela Delegacia de Homicídios, foi orientado a ir até a especializada para explicar o que motivou a morte. “Só que ele não apareceu mais. Já tentamos intimá-lo, mas não deu certo”, lamentou o superintendente. “Se ele não vier sozinho, a única forma de cumprirmos as formalidades do inquérito é pedir a prisão?? disse.

Homicídio

Segundo dados apurados pela polícia, naquela madrugada houve uma briga numa casa noturna. Momento depois, os envolvidos na confusão se encontraram na Rua Salvador de Ferrante. Augusto estava acompanhado de um grupo de amigos. Ele tentou apaziguar a briga, mas acabou sendo morto com três tiros.

Os envolvidos na confusão pertenciam a duas gangues rivais do Xaxim: o “grupo dos manos” e do “CJE”, do qual Tiago seria integrante.