A delegacia de Campina Grande do Sul, investiga a morte do promotor aposentado Orivaldo Spagnol, 73 anos. Ele foi encontrado morto, por volta das 6h de ontem, na chácara onde morava, no quilômetro 33 da BR-116, em Campina Grande do Sul.

Segundo os policiais militares do 17.º Batalhão, o corpo estava caído na cozinha, supostamente com um tiro no peito. Havia bastante sangue e não foi descartada a possibilidade de ele ter sido atingido em outros locais do corpo.

A primeira linha de investigação analisada pela delegacia é que o ex-promotor, que também foi procurador de Justiça, tenha sido vítima de latrocínio (roubo com morte).

Os investigadores, comandados pelo delegado Gerson Machado, já trabalham no caso e devem ouvir pessoas próximas da vítima, para ajudar a verificar se algo foi levado da casa.

Além do número de tiros, a análise do Instituto de Criminalística vai apontar a hora provável do crime. Na casa não havia sinais de luta, apenas o quarto estava em desalinho.

Ameaças

De acordo com um funcionário da chácara, Orivaldo havia chegado na quarta-feira para efetuar alguns pagamentos e deveria retornar ontem a Curitiba. Segundo ele, a chácara já foi roubada anteriormente, e o ex-promotor havia sido ameaçado por ex-funcionários. Spagnol morava no São Braz e tinha cinco filhos.